12 de abr de 2013

Perambulando

Vou andando por aí,
Encurtando os meus passos a cada travessa.
Estou à espera.
Não sei de quê, nem pra quê, mas estou.
Vou andando, devagarinho.
O caminho é longo, com pedras à frente...

A cada dia vejo
A vida é longa mesmo sendo curta
Uma interminável contradição,
Ela é o que é e bem, não posso mudar.

Por que tudo o que quero é simples,
Viver e não existir!
Andar a pé ou de bicicleta,
Sozinha, na companhia da minha sombra.
Comer arroz e feijão,
Um punhadinho de purê-de batata.

Suando debaixo do sol,
Refrescando debaixo da lua.
Sou da lua, sou do sol,
Sou meia-boca das estrelas.
Tão importante quanto o resto.

Qualquer dia
Um cometa passa por aqui,
Aproveito e imploro uma carona pra lua,
Vou me sentar
 Lá de cima olhar a Terra,

Agradecerei por ter escapado desse tal mar de fel.