28 de abr de 2013

Descabelando minha vida

Eu fiz, sem querer querendo. Eu quis o que não podia, eu quase tive o que eu queria. Tentei trazer para o lado de cá aquilo que estava longe, do outro lado da cidade.
Eu tentei ir além, mudei a minha visão sobre o mundo, mas agora não sei se ele está de ponta cabeça ou se, a minha cabeça é que está de ponta de cabeça, virada. Eu tô maluca da ideia.
Não faz sentido ficar aqui de braços cruzados, nem tão pouco faz sentido ir pra longe de suas entranhas. Muito além da vida, muito além das flores. Ficar aqui sentada, olhando os carros virem e irem, o vento balançando os meus cabelos, o tempo não passa e a minha vontade de sumir cresce.
Estou em prantos, querendo sumir, trombar alguém por aí e transformar o início num nó, mil voltas, quem sabe? Não o deixar ir por qualquer motivo, que seja... Não importa!